Distrito 13

Destaques

  1. A Esperança: Parte 1 - Veja o trailer final do filme

    Esperança: Parte 1

    Saiu o trailer final do filme! Assista agora!

  2. A Esperança: Parte 1 - Veja as fotos oficiais do filme

    A Esperança

    Além do trailer final, foram liberadas várias fotos novas de A Esperança: Parte 1. Veja todas na galeria do D13!

  3. Philip Seymour Hoffman, o intérprete de Plutarch Heavensbee nos filmes de Jogos Vorazes, foi encontrado morto em seu apartamento no domingo, 2 de fevereiro.

    A Esperança

    Conheça o aplicativo oficial de A Esperança: Parte 1.

  4. Curta o Distrito 13 no Facebook!

    Facebook

    Curta e acompanhe as atualizações do Distrito 13 também no Facebook!

Arquivo de notícias

gary ross premiere jogos vorazes

Entrevista de Gary Ross para o Moviefone

Moviefone realizou uma entrevista com o diretor de Jogos Vorazes, Gary Ross, na qual ele  conta como foi a escolha de elenco e sobre não ter dúvidas que a atriz Jennifer Lawrence ia ser a pessoa certa para interpretar Katniss, na adaptação, além de falar sobre cenas adicionais do filme e sobre a classificação PG-13 que Jogos Vorazes recebeu.

Confira a entrevista completa traduzida pelo Distrito 13:

Você ficou surpreso que Steven Soderbergh estava preocupado que ele tivesse arruinado o filme, porque ele não tinha ouvido de você sobre a filmagem que ele gravou?
Oh, ele disse isso?

Sim. Ele disse que não ouviu de você até duas semanas depois que ele filmou as imagens, então ele estava suando o tempo todo.
Oh, eu não tinha ideia! Eu mandei um e-mail para ele dizendo que estava ótimo. Ele e eu somos amigos e temos negociado favores semelhantes ao longo dos anos. Voltamos um longo caminho. Eu estive em muitos de seus sets e ele esteve em um monte dos meus. Ele era um produtor em “A vida em Preto e Branco”. Eu ajudei ele muito em coisas de “Onze Homens e Um Segredo”. Ele veio e filmou em um dia para mim. Mas foi um dia que eu realmente precisava de alguém com quem eu podia confiar. Foi uma sequencia muito complexa e não era algo que eu pudesse entregar a um diretor de segunda unidade. Ele fez um trabalho fantástico e ele é um bom amigo meu.

Qual a sequencia que ele estava filmando?
Foi algumas cenas nas sequencias de tumulto no Distrito 11. 

Acho que algumas pessoas ficaram surpresas ao ouvir que vocês dois eram bons amigos.
Se alguém não tivesse twittado que ele estava no meu set, isto teria sido tão obscuro quanto todos esses favores no passado.

Parece estranho que ele estaria tão nervoso sobre gravar em segunda unidade de filmagem. Ele tem um Oscar!
Bem, acho que qualquer hora que você faz um favor para um amigo, você quer ter certeza de que você está fazendo o que querem em seu filme.

Como você encontrou os atores principais para “Jogos Vorazes”?
Eu tive uma sensação muito forte quando eu vi “Inverno da Alma” que Jennifer Lawrence ia ser a pessoa certa. E então quando me encontrei com Jen, fiquei ainda mais convencido. Ela meio que me surpreendeu. Então foi uma decisão fácil.

E sobre Donald Sutherland?
Donald eu achava que era certo para o papel. Ele e Elizabeth Banks ambos me escreveram cartas baseadas no livro, onde diziam: “Escute, eu acho que eu seria ótimo nesse papel por essa razão”. Eu tinha trabalhado com Liz antes [em “Alma de Herói”]. Eu estava pensando nela já. Então, isso foi fácil. Mas, com Donald, ele escreveu um caso convincente para quem era esse homem e que tipo de poder autocrático tinha e fez a imposição de seu tipo de autoridade e o que este tipo de fascismo era realmente, que eu não só o escolhi, mas eu acabei  escrevendo duas cenas a mais baseadas nessa carta. Foi uma história realmente incrível, porque eu já escolhi ele, então ele me escreveu uma outra carta sobre como sentia o personagem em relação a este mundo. Eu estava filmando em Asheville na mata e fomos por este belo lago. E eu vagava até a beira do lago, conforme eu estava lendo sua carta em um iPad e pensando, “Uau, isso é tão inteligente e tão sofisticado.” Isso se afastava do jeito que ele interpretava seu personagem no que a natureza desse poder realmente significava. E havia uma clareira à beira do lago e lá estava esta cadeira dobrável branca e eu pensei: “Bem, isso é uma espécie de sinal que eu deveria ir sentar nessa cadeira e pensar sobre isso.” E eu fiz e eu vim com essas duas cenas que são realmente uma espécie de pivô no filme como um resultado desse e-mail. Isso é o que você quer quando você faz um filme. Você deseja esses acidentes felizes e você quer que isso seja uma conversa com as pessoas com quem você está trabalhando. Isso foi uma espécie de pequeno momento sublime.

Como Suzanne Collins se sentiu sobre as cenas adicionais?
Eu nunca iria me dar carta branca para fazer alterações. Meu trabalho é adaptar fielmente algo que eu amo e chegar à essência do que eu amo sobre isso. É incrivelmente atraente. É maravilhosamente urgente. É a evolução de uma bela garota em uma líder conforme ela amadurece em circunstâncias muito extraordinárias. Por isso, não era tanto sobre ter carta branca, mas encontrar a forma mais hábil para chegar à essência da história. Então eu escrevi um rascunho do roteiro e então eu mandei para Suzanne. Nós conversamos muito sobre isso e ela respondeu muito, muito favorável para o roteiro. E então ela saiu para a Califórnia para que pudéssemos conversar mais e ela tinha pensamentos maravilhosos sobre isso. E começamos lançando de um lado para o outro e ela estava trazendo uma nova camada em sua visão, porque ela tinha, obviamente, vivido com esses personagens há muito tempo e antes que nós soubéssemos disso, nós estávamos trabalhando juntos. Não foi como se eu a tivesse convidado para trabalhar no projeto junto comigo, isso só evoluiu. Então eu disse, “Bem, isso é loucura. Você não está me dando notas, por que apenas não escrevemos o próximo esboço juntos?” E ela disse, “Ótimo.” Então, nós nos trancamos em uma sala e escrevemos o esboço seguinte do roteiro. O que foi ótimo para mim, porque eu não tinha um parceiro de escrita desde Anne Spielberg em “Quero Ser Grande.” E eu adoraria escrever com alguém novamente. Essa foi uma experiência divertida, especial, realmente única.

Você sentiu como se você tivesse suavizado um pouco da violência para conseguir essa classificação PG-13 ou você decidiu fazer o filme e então se preocupar com a classificação mais tarde?
Eu acho que há uma forma de ser tão urgente e tão convincente quanto o livro é, sem ser sensacionalista ou indulgente com a violência. Se você contar a história do ponto de vista de Katniss, que é o que o trabalho é, então você está em uma perspectiva de onde você nunca se torna lúgubre ou fetichista sobre a violência. É um horror acontecendo ao redor dela, mas que pode ser feito de uma maneira que é muito preciso e seleto e mesmo poupando, por vezes, sem sacrificar a urgência ou o imediatismo disso. Então, não, não foi feito para a classificação. É muito intenso. Eu tive pessoas vendo o filme e eles disseram que era até mais intenso do que o esperado. Mas é PG-13. Não é gratuito de qualquer forma. É só apropriado, eu sinto.

Você vai dirigir “Em Chamas?”
Eu estou ligado ao próximo. Estou ansioso por isso. Simon Beaufoy, [“Quem Quer Ser um Milionário?”], que é um escritor que eu fui um fã há um longo, longo tempo, está fazendo

o roteiro. Tivemos grandes reuniões com ele quando ele estava aqui em LA. E eu estou realmente animado com isso. Eu não posso escrever o roteiro de “Em Chamas” agora porque eu estou terminando [“Jogos Vorazes”], e nós estamos em um horário em que o roteiro tem que ficar escrito agora. Então, eu estou incrivelmente feliz que alguém como Simon vai estar escrevendo o roteiro. Essa era a pessoa que eu queria fazendo isso. Uma das grandes coisas sobre isso é que você começa a trabalhar com pessoas que você respeita e que você ama e eu acho que estou em um ponto em minha carreira onde isso é emocionante para mim. Seria ótimo ter tempo para escrever o roteiro agora? Sim. Mas eu consegui para trabalhar com Simon Beaufoy. Isso é uma emoção. Ele é alguém que eu respeito e adoro seu trabalho.

21 de março de 2012 às 21:23
0
Últimas notícias
A ESPERANÇA – PARTE 1: Ouça “Yellow Flicker Beat”, de Lorde
29/09/2014 às 11:17

A ESPERANÇA – PARTE 1: Ouça “Yellow Flicker Beat”, de Lorde

Conforme prometido, a canção Yellow Flicker Beat, de Lorde, foi divulgada online nesta manhã. Ouça no player acima e não deixe de comprar a música pelo iTunes. Yellow Flicker Beat está na trilha sonora auxiliar de A Esperança: Parte 1, também curada pela neozelandesa. A trilha sonora, no entanto, não tem data…

Quote da semana
28/09/2014 às 21:00

Quote da Semana: o jeito Finnick Odair

Finnick Odair é muito mais do que um rostinho bonito promovido pela Capital. Ele tem seus anseios, alegrias e amores. Acima de tudo, consegue continuar até o fim, lutando bravamente contra o poderio de Panem que afetou tão profundamente a sua vida e de quem ele amava. No quote abaixo,…

a-esperanc3a7a22
28/09/2014 às 15:00

“Jogos Vorazes: A Esperança Parte 1″ baterá recorde de lançamento nos cinemas aqui do Brasil

Distribuidora da série Jogos Vorazes aqui no Brasil, a Paris Filmes divulgou ontem através de sua página oficial no Facebook que A Esperança Parte 1 terá o maior lançamento da história do Brasil. Além de recebermos o filme antes da estreia mundial, a distribuidora confirmou que o penúltimo filme da série será lançado…

Gale Hawthorne em A Esperança - Parte 1
24/09/2014 às 13:43

Lionsgate divulga novas fotos de “A Esperança: Parte 1″

A produtora Lionsgate divulgou novas fotos de A Esperança: Parte 1, mostrando os soldados do Distrito 13 Gale Hawthorne (Liam Hemsworth), Cressida (Natalie Dormer) e Beetee (Jeffrey Wright). Para visualizá-las, clique neste link. As imagens foram divulgadas em uma nova campanha da produtora, que prometeu novas stills do terceiro filme…